por Maria Augusta Soares Machado

A dinâmica do ambiente onde atuam as organizações exige frequentes mudanças nos sistemas de informações que elas utilizam para sustentar seus negócios.  Assim, exige-se dos responsáveis pelo desenvolvimento e manutenção de sistemas, agilidade e qualidade nas respostas às solicitações do pessoal de negócio.

Entretanto, sistemas de informações desenvolvidos e mantidos ao longo de décadas, especialmente em grandes corporações, criaram um ambiente computacional complexo onde as regras de negócios estão distribuídas em milhões de linhas de código.

O levantamento das regras de negócios tem sido apresentado como uma das alternativas para minimizar essa situação, possibilitando, através de sua técnica, a descoberta, a manutenção das regras de negócios e principalmente uma forma de melhoria na interação entre desenvolvedores de sistemas de informação e gestores de sistemas, de modo a permitir que modificações nos negócios sejam rapidamente refletidas nos sistemas de informações.

Claudio Santos Pereira, sob a orientação de Maria Augusta Soares Machado, desenvolveu uma metodologia para o levantamento destas regras, uma “Abordagem de Regras de Negócios”, cuja meta é separar os três fatores contidos nos sistemas de informação da empresa: Regras, dados e processos. A metodologia da Abordagem de Regras de Negócios é um conjunto de fases, passos, técnicas e orientações para disponibilizar sistemas baseados em regras de negócios; ela tem como base a proposta de Von Halle (2001).

1. Na fase de Escopo, que é o processo de captura de requerimentos de negócio em alto nível e identifica a fronteira de um sistema de informações:

1.1. Pesquisa inicial sobre o ambiente de negócios (Plano estratégico de negócio, manuais de procedimentos e políticas, modelos de processos, dados e dicionários de dados existentes, documentação de sistemas existentes);

1.2. Desenvolvimento de uma declaração inicial do escopo;

1.3. Investigação do contexto completo do negócio (missão, visão, estratégias, metas, táticas, objetivos e políticas);

1.4. Identificação dos eventos de negócio;

1.5. Identificação dos envolvidos

1.6. Identificação dos locais onde trabalham os envolvidos;

1.7. Identificação dos processos de resposta a eventos;

1.8. Identificação das métricas de desempenho de negócio;

1.9. Identificação dos temas relativos aos dados ou objetos de negócio de alto nível (todos os temas cobrem as necessidades de desenvolvimento do negócio?);

1.10. Identificação de requerimentos dos sistemas envolvidos (Usabilidade; desempenho, disponibilidade);

1.11. Identificação de restrições de negócios e técnicas;

1.12. Identificação riscos de negócios e técnicos;

1.13. Priorização de requerimentos de negócios;

1.14. Definição de solução arquitetural;

1.15. Seleção da arquitetura de solução;

1.16. Criação do diagrama de escopo (primeira representação visual do sistema de informações);

1.17. Estimativa da infraestrutura organizacional e necessidades de recursos;

1.18. Criação da carta do projeto ( documenta os requerimentos de negócio de alto nível que o sistema a ser construído deve atender);

1.19. Obtenção do compromisso para o projeto (com patrocinador e parceiros).

2. Na fase de Planejamento, que descreve os produtos a serem entregues, as tarefas e os prazos necessários para sua produção:

2.1. Preparar apolítica de atuação o time do projeto;

2.2. Montar a Estrutura organizacional do time do projeto;

2.3. Criar os procedimentos de comunicação do time do projeto;

2.4. Desenvolver os procedimentos de compartilhamento do conhecimento;

2.5. Gerar os procedimentos de gerenciamento de mudanças;

2.6. Formular os procedimentos de registro de questões;

2.7. Especificar os procedimentos do comitê diretor;

2.8. Conceber um diagrama de alto nível da arquitetura de solução;

2.9. Arquitetar os requerimentos do repositório de regras e metadados;

2.10. Aprontar um cronograma do projeto.

3. Na fase de Descoberta das Regras, que prevê a escolha de um tipo de roteiro para o levantamento das regras:

3.1.a. Roteiro de levantamento de eventos, se a organização não utiliza casos de uso como uma técnica de descrição e mapeamento de processos; ou

3.1.b. Roteiro de análise dos casos de uso, se a organização utiliza casos de uso como técnica de descrição e mapeamento de processos; ou

3.1.c.. Roteiro de decomposição de processo, se a organização utiliza a decomposição de processo como técnica de descrição e mapeamento de processos; ou

3.1.d. Roteiro de análise do workflow, se a organização cria um workflow para entrega ou a área de negócios tem um processo intensivo em workflow; ou

3.1.e.. Roteiro de análise de dados, se a organização já tem um modelo de dados para o sistema destino; ou

3.1.f. Entendimento da missão e das políticas, se as fontes de regra são os executivos de alto nível e o projeto é parte do esforço de reengenharia do processo do negócio.

3.2. Na Fase de Execução de um dos Roteiros do item 3.1:

3.2.1. Planejamento dos tempos e compromissos para a descoberta das regras;

3.2.2. Descoberta das regras através do roteiro;

3.2.3. Autenticação das regras (legais, políticas e normativas);

3.2.4. Associação do valor das regras (conexão de cada regra com as políticas relevantes da organização);

3.2.5. Definição dos termos que comporão o texto das regras;

3.2.6. Descoberta dos fatos que conectam os termos;

3.2.7. Adicionamento de cenários concretos (certificar-se  que as regras fazem sentido para que as utiliza).

Um sistema de informações construído de acordo com a metodologia de regras de negócios apresenta as seguintes vantagens: Tem seu desenvolvimento mais rápido do que sistemas que foram desenvolvidos sem o uso da metodologia; está baseado em um modelo de dados estável; é baseado em regras que são compartilhadas pela aplicação e pela organização; permite várias arquiteturas tecnológicas e projetos para automação das regras; tem rastreabilidade desde os objetivos de negócios, passando pelos requisitos até regras automatizadas; proporciona economia nas manutenções em sistemas, tornando as implementações de mudanças mais fáceis.

Para saber mais sobre o tema visite o site da Quântica Treinamento Empresarial em http://www.quanticaconsultoria.com

Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s