por Maria Augusta Soares Machado

Continuação do Post sobre Fuzzificação de um Valor

Toda regra tem no mínimo um antecedente e um consequente.

Para uma regra na Lógica Clássica, por exemplo:

Se o céu está azul (antecedente)

Então não vai chover (consequente)

Para uma regra fuzzy, um antecedente e um consequente podem ser expressos da seguinte forma:

Se o céu está um pouco nublado (antecedente)

Então pode chover pouco (consequente)

Nota-se que, no primeiro exemplo, está ou não está chovendo, tornando a afirmativa verdadeira ou falsa (analogamente, zero ou um; verdadeiro ou falso…). Para o segundo exemplo, por estarmos tratando de afirmações fuzzy, existe um “ar de dúvida”, podendo a afirmativa assumir graus de verdade (pouco nublado à chover pouco; muito nublado  chover muito, etc.).

Podemos dizer que uma base de regras fuzzy é um conjunto de várias regras fuzzy. Para exemplificar, podemos dizer que uma base de regras fuzzy pode ser descrita do seguinte modo:

  • Variáveis de entrada =>Escolaridade e Experiência.
  • Domínio das variáveis de entrada =>Escolaridade de 0 a 15 anos;

Experiência de 0 a 25 anos.

  • Variável de Saída =>Salário.
  • Domínio da Variável de Saída => de 0 a 1000 unidades monetárias.

Uma Regra pode ser:

Se a escolaridade é pouca e a experiência é pouca (antecedentes) à o salário é baixo (consequente)

Usando-se essas variáveis, pode-se ter, por exemplo, a seguinte base de regras fuzzy:

  • Regra 1 – Se a escolaridade é média e a experiência é pouca então o salário é muito baixo;
  • Regra 2 – Se a escolaridade é média e a experiência é média então o salário é pouco baixo;
  • Regra 3 – Se a escolaridade é média e a experiência é grande então o salário é médio;
  • Regra 4 – Se a escolaridade é alta e a experiência é pouca então o salário é pouco baixo;
  • Regra 5 – Se a escolaridade é alta e a experiência é média então o salário é médio
  • Regra 6 – Se a escolaridade é alta e a experiência é alta então o salário é pouco alto.

 Podemos ressaltar que a fuzzificação das entradas foi feita através de palavras. Ela é na realidade feita com as funções de pertinência que irão modelar matematicamente as palavras.

Observa-se, também, que as entradas estão interligadas com a palavra “e” que é o conectivo “E (AND)”, podendo ser um operador produto ou mínimo.

Caso as entradas estivessem interligadas com a palavra “ou”, que é um conectivo “OU (OR)”, a mesma pode ser um operador máximo ou soma.

Para saber mais sobre o tema visite o site da Quântica Treinamento Empresarial em http://www.quanticaconsultoria.com

Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s