Várias fórmulas e livros têm sido publicados para ajudar os líderes das organizações a desenvolverem uma gestão eficaz de suas atividades e de suas equipes. Mas o que significa gerir de forma eficaz um negócio? No moderno dicionário Michaelis da língua portuguesa, gerir é administrar, governar, dirigir, regular; enquanto dirigir é encaminhar, guiar, endereçar. Portanto, a questão central é como endereçar de forma produtiva os desafios da empresa e como encaminhar os seus colaboradores para alcançar os objetivos da organização, vencendo estes desafios?

A Fundação para o Prêmio Nacional da Qualidade (FPNQ) praticamente esgotou os requisitos necessários para uma gestão eficaz, quando publicou os critérios de excelência em gestão e seus conceitos fundamentais. Vejamos o que propõe a Fundação com estes critérios, associando-os a possíveis ações de um gestor eficaz:

1. Pensamento Sistêmico: Entendimento das relações de interdependência entre os diversos componentes de uma organização, bem como entre a organização e o ambiente externo. Ou seja, o gestor eficaz deve estar atento a como o trabalho de sua equipe afeta o todo da organização;

2. Aprendizado Organizacional: Busca e alcance de um novo patamar de conhecimento para a organização por meio da percepção, reflexão, avaliação e compartilhamento de experiências. O gestor eficaz deve trocar informações com outras áreas, além de promover “on the job training” através do intercâmbio de empregados entre áreas;

3. Cultura de Inovação: Promoção de um ambiente favorável à criatividade, experimentação e implementação de novas ideias que possam gerar um diferencial competitivo para a organização. O gestor eficaz deve desenvolver no ambiente de trabalho as cinco dimensões definidas pelo “Great Place to Work Institute”: Credibilidade, respeito, imparcialidade, orgulho e camaradagem;

4. Liderança e Constância de Propósitos: Atuação de forma aberta, democrática, inspiradora e motivadora das pessoas, visando o desenvolvimento da cultura da excelência, a promoção de relações de qualidade e a proteção dos interesses das partes interessadas. O gestor eficaz deve mostrar o caminho e inspirar sua equipe a segui-lo;

5. Orientação por Processos e Informações: Compreensão e segmentação do conjunto das atividades e processos da organização que agreguem valor para as partes interessadas, sendo que a tomada de decisões e execução de ações deve ter como base a medição e análise do desempenho, levando-se em consideração as informações disponíveis, além de incluir os riscos identificados. O gestor eficaz deve seguir a máxima de W. Eduard Deming “In God we trust. Anyone else must bring data.”;

6. Visão de Futuro: Compreensão dos fatores que afetam a organização, seu ecossistema e o ambiente externo no curto e no longo prazo. O gestor eficaz deve estudar os conceitos de estratégia como uma perspectiva, formulados por Henry Mintzberg;

7. Geração de Valor: Alcance de resultados consistentes pelo aumento de valor tangível e intangível de forma sustentada para todas as partes interessadas. O gestor eficaz deve ter preocupação com os resultados da empresa sem esquecer os cinco princípios de sustentabilidade: (1) Natural Step, (2) Agenda 21, (3) Pacto Global, (4) Projeto Sigma e (5) Princípios Globais de Sullivan;

8. Valorização das Pessoas: Criação de condições para que as pessoas se realizem profissional e humanamente, maximizando seu desempenho por meio do comprometimento, do desenvolvimento de competências e de espaços para empreender. O gestor eficaz deve estudar e praticar os conceitos de liderança transformacional;

9. Conhecimento sobre o Cliente e o Mercado: Conhecimento e entendimento do cliente e do mercado, visando a criação de valor de forma sustentada para o cliente e, consequentemente, gerando maior competitividade nos mercados. O gestor eficaz deve investir tempo em conhecer melhor o sistema de valor onde sua organização atua, utilizando-se de ferramentas metodológicas como a análise estrutural da indústria, pesquisas de mercado ou técnicas das três fases do CRM: Acquire, Enhance, Retain;

10. Desenvolvimento de Parcerias: Desenvolvimento de atividades em conjunto com outras organizações, a partir da plena utilização das competências essenciais de cada uma, objetivando benefícios para ambas as partes. O gestor eficaz deve desenvolver programas de benchmarking e cooperação com empresas dentro e fora de seu sistema de valor;

11. Responsabilidade Social: Atuação que se define pela relação ética e transparente da organização com todos os públicos com os quais ela se relaciona. Refere-se também à inserção da empresa no desenvolvimento sustentável da sociedade, preservando recursos ambientais e culturais para gerações futuras; respeitando a diversidade e promovendo a redução das desigualdades sociais como parte integrante da estratégia da organização. O gestor eficaz deve transformar esta necessidade de atuação em ações práticas, incentivando e participando de ações comunitárias ou de defesa ao ecossistema do planeta.

Para saber mais sobre o tema visite o blog Para Ler, Refletir e Relaxar em http://blogwgs.tumblr.com

Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s