por Walther Krause

A atividade de construção, incluindo a fabricação, transporte, energia, etc. consome mais de 50% das fontes mundiais de energia e grande parte da matéria prima existente no planeta, e é responsável por grande parte da emissão de gases responsáveis pela mudança climática, conforme explana Cardoso (2007).

O ambiente construído está relacionado à promoção do desenvolvimento social, destacando o acesso a: infraestrutura básica, equipamentos comunitários e ambientes adequados. É uma atividade com o uso intensivo de mão-de-obra, com benefícios econômicos e sociais.

Este ambiente tem uma importância significativa no atendimento das metas de desenvolvimento sustentável estabelecidos para qualquer país. Como parte destas metas aponta-se a necessidade de conhecer os impactos gerados na sua construção e a proposição de formas para a minimização destes impactos, buscando uma construção mais sustentável.

O desenvolvimento dos projetos de construção precisa incluir requisitos que garantam a sustentabilidade do desenho, durante a construção e o resultado do empreendimento. Significa uma mudança técnica e cultural no desenvolvimento destes projetos.

Cardoso (2007) propôs um modelo hierárquico para organizar os principais requisitos. O nível 1 é o Objetivo, o nível 2 são os Assuntos e o nível 3 são as categorias.

Aspectos de Desempenho Ambiental

Aspectos de Desempenho Econômico

Aspectos de Desemepnho Sócio-Cultural

Os requisitos podem ser considerados, em muitos casos, subjetivos. Com isso, podem não ser corretamente atendidos e a sustentabilidade não atingida. O desenho dos projetos não conseguirá eliminar todo possível impacto, mas poderá minimizar ao máximo, otimizando o uso dos recursos naturais.

O caminho dos projetos de construção é seguir os requisitos estabelecidos pelo Green Buildin Council, representado no Brasil pelo GBC Brasil (www.gbcbrasil.org.br). O GBC Brasil certifica instalações e construções que estejam aderentes aos requisitos de sustentabilidade. É a chamada certificação LEED (Leadership in Energy and Environmental Design). Criada pelo USGBC há mais de uma década, nos EUA, a certificação LEED para construção sustentável chegou ao Brasil há quase cinco anos e, hoje, é considerada o principal selo para edificações no país. Atestou o comprometimento de 40 empreendimentos nacionais com a sustentabilidade e colocou o Brasil na quarta posição do ranking mundial dos países mais preocupados com a construção sustentável. Na frente do Brasil, com aproximadamente 429 empreendimentos, no ranking dos países mais preocupados com a construção sustentável, estão apenas EUA, China e Emirados Árabes Unidos, que possuem, respectivamente, 38.940, 807 e 758 empreendimentos em processo de certificação LEED, segundo o USGBC.

A Certificação na Norma ABNT ISO 140001

A certificação na norma ABNT ISO 14.0001, que trata na gestão ambiental, complementa os instrumentos normativos para apoiar aos projetos em desenvolver construções sustentáveis e gerenciáveis.

Conclusão

 O caminho para os novos empreendimentos é através de projetos sustentáveis. As grandes construtoras brasileiras já aderiram esta estratégia empresarial. Estamos no caminho, mas muito há por fazer para poder realmente construir uma sociedade sustentável.

Referências Bibliográficas

 ASSEFA et. al.; Environmental assessment of building properties – where natural and social sciences meet: The case of EcoEffect. Building and Environment 42(2007)1458-1464.

CHANG K.F; Chiang C.M; CHOU P.C Adapting aspects of GBTool 2005-searching for suitability in Taiwan. Building and Environment ,42(2007)310-316

ERLANDSSON M., BORG M.; Generic LCA-methodology applicable for buildings, constructions and operation services – today practice and development needs. Building and Environment 38 (2003) 919-938.

JOHN G.; CLEMENTS-CROOME D; JERONIMIDIS G.; Sustainable building solutions: a review of lessons from the natural world. Building and Environment40, (2005) p.319-328.

LIPPIATT, B. BEES 1.0 – Building for Environmental and Economic Sustainability  – Technical Manual and User Guide. Gaithersbourgh: NIST 1998. 84 pp.

CARVALHO, MICHELE; SPOSTO, ROSA – Aplicação da Ferramenta Processo de AHP para Determinação de Critérios Essenciais para Projetos Sustentáveis de Habitações de Interesse Social – HIS na Cidade de Goiânia – GO – ELEC 2007.

REDDY B.V.V.; JAGODISH K.S. Embodied energy of common and alternative building materials and technologies. Energy and Building. 35(2003)129-137.

YEANG, K.; The Green Skyscraper – The Basis for Designing Sustainable intensive Building, Prestel, New York, 1999, 394 p.

Anúncios