por Ruy Motta

“Não há que ser forte, há que ser flexível”

Proverbio chinês

Quando um vento muito forte atinge árvores sem troncos flexíveis, elas se opõem ao vento o quanto podem. Seus galhos são sacudidos podendo quebrar-se e até mesmo as árvores podem ser derrubadas totalmente e serem arrancadas pela raiz.

O mesmo não acontece com o bambu que se curva, balança, mas não resiste inutilmente ao vento.

A natureza nos mostra através do bambu como nos comportar perante as dificuldades da vida: possuir resiliência.

A palavra resiliência tem a sua origem na Física indicando a propriedade que alguns materiais apresentam de, após serem submetidos a uma deformação, voltar a sua forma original, desde que não tenha havido uma ruptura. Exemplo clássico são as molas.

Mais tarde esta palavra foi adaptada para descrever a capacidade do ser humano de lidar com mudanças, se recobrar facilmente e se adaptar. O resiliente é a pessoa que está sempre se adaptando sem nunca se deixar abater pelas dificuldades.

A resiliência é importante para transformar dificuldades em oportunidades de crescimento, superando desafios.

Tal qual o bambu precisamos nos transformar em seres resilientes, pois o mundo a nossa volta está em eterna mudança. A única constante em nossas vidas sempre será a mudança: ou nos adaptamos ou vivemos a margem da vida. Não podemos lutar inutilmente com as mudanças como as árvores sem troncos flexíveis o fazem com o vento.

Esta competência nos permite melhor sobreviver às mudanças. A sua utilidade fica evidente tanto para a vida particular quanto para a vida corporativa.

O resiliente é forte e capaz de enfrentar as dificuldades encontrando soluções que as contornem. Não se abate com os fracassos procurando sempre uma saída. São responsáveis pelos seus atos e conhecem suas forças e fraquezas. Ele não perde, ele aprende para não errar mais.

O mundo deve ser encarado de uma forma positiva e é preciso estar preparado para viver melhor. A principal característica de um resiliente é o otimismo, sempre pronto para novas experiências.

E o melhor é que esta competência Individual pode ser melhorada, se o ser humano:

  • Aceitar que mudanças sempre vão acontecer mesmo que ele não queira. São agentes externos que agem sobre o seu mundo e não está ao seu alcance a possibilidade de impedi-los
  • Compreender que não há problemas que não possam ser resolvidos.
  • Aprender que problemas não são eternos, vêm e vão.
  • Agir através de decisões necessárias para contornar problemas. Não decidir não significa que os mesmos serão sanados: eles continuarão e até se tornarão mais difíceis de resolver. Observe fatos, identifique as causas e decida como solucioná-las. Não postergue.

E lembrar que o trabalho é meio de vida e não de morte. Deve ser mesclado com o lazer e o descanso, principalmente com a família que requer nossa atenção. Isto faz com que relaxemos e possamos encontrar os caminhos futuros mais facilmente.

“Procure acender uma vela em vez de amaldiçoar a escuridão”

Proverbio chinês

Referência:

CHA, Eliana. Dez lições incríveis do bambu. In: Jornal do Empreendedor. Disponível em http://www.jornaldoempreendedor.com.br/destaques/inspiracao/10-licoes-incriveis-do-bambu-por-garr-reynolds/. Consultado em 28/10/2016.

Anúncios